Archive for the ‘Gastromed em Notícias’ Category

Obesidade: Mitos e realidade

21 de Dezembro de 2009

Há algumas semanas temos tratado do tema da obesidade. Todos nós sabemos que a obesidade se caracteriza pelo acúmulo excessivo de gordura em tal nível que compromete a saúde. O que poucos sabem é que ela é considerada uma doença crônica; sim – obesidade é uma doença e deve ser tratada como tal. Sua origem é multifatorial, ou seja, não existe uma única causa, e sim vários fatores (ambientais, culturais, genéticos, psicológicos) que agem conjuntamente para determinar seu aparecimento.

Acredito que todos nós já escutamos alguém (senão nós mesmos) dizendo que está acima do peso porque seus pais são obesos. Como se a responsabilidade do próprio sujeito fosse menor que a dos “culpados” pais. O que talvez essa pessoa não saiba é que a genética tem uma influência de menor do que 5% na obesidade!

A obesidade e os transtornos alimentares, de forma geral, estão deixando de ser tratados como questões individuais, sendo cada vez mais considerados um problema de saúde pública. Todas as projeções a médio e longo prazo são preocupantes. Estima-se que em 2025 que toda população da América Latina esteja com no mínimo sobrepeso. Atualmente, 50% da população norte americana está acima do peso considerado saudável e no Brasil 1/3 da população. Pesquisas científicas apontam que, em nosso país, mais de 50% da população já tentou perder peso e 15% dos adolescentes estão com sobrepeso.

A obesidade, em última análise, representa fator de risco maior, seja risco para aparecimento de outras doenças, seja risco de morte propriamente dita. Estudos demonstram que, proporcionalmente ao aumento do peso, também ocorre aumento dos níveis de gordura no sangue (colesterol e triglicérides), de glicemia (diabete) e elevação da pressão sangüínea.

Existem diversas doenças que têm freqüência muito aumentada nos obesos. Estas doenças (comorbidades) são as principais responsáveis pelo aumento das taxas de mortalidade, da diminuição da expectativa e da qualidade de vida e são o motivo principal da necessidade do controle do peso. Doenças como diabetes, hipertensão arterial, hiperlipidemia, coronariopatias como angina e infarto, doenças articulares, apnéia do sono, insuficiência respiratória e cardíaca, além de diversas formas de câncer que têm elevada prevalência entre os obesos. O controle dessas doenças necessariamente envolve a perda do excesso de peso.

A obesidade não é uma doença estética, tão pouco um problema moral, nem mental ou de falta de força de vontade, como por desinformação era tratada até bem pouco tempo. Além das complicações físicas apontadas acima, o obesidade pode desencadear graves problemas emocionais: depressão, isolamento, neuroses, sentimento de culpa e de incapacidade e até mesmo suicídio.

Cuide-se!

Thereza Cristina de O. Giorgi – Psicóloga

Anúncios

21 de Agosto de 2009

Gastromed em Notícias

Veja as novidades:capsula_endoscopica Cápsula Endoscópica

 Você já ouviu falar?

A cápsula endoscópica permite estudar por meio de um exame de alta tecnologia, o maior órgão do sistema digestivo, o intestino delgado. Trata-se de um exame não-invasivo, ou seja, não requer sedação nem internamento e praticamente não oferece riscos. O procedimento é simples e indolor: o paciente engole naturalmente um dispositivo endoscópico em forma de cápsula, dentro da qual existe uma micro câmara a cores capaz de tirar fotos. As imagens são transmitidas para um cinturão preso ao paciente (gravador). O exame dura em média 8 horas, durante as quais, o paciente pode realizar as suas atividades normais.

A cápsula é eliminada naturalmente pelo organismo através das fezes. A cápsula é eficaz em até 80% dos diagnósticos contra apenas 35% de eficácia dos outros exames. Por meio de um software específico, as informações armazenadas são transformadas num filme e gravadas num CD, a partir do qual o médico pode avaliar qualquer lesão do estômago, intestino delgado e, parte inicial do cólon, possibilitando um diagnóstico preciso na maioria das situações.

O exame é indicado: em casos de sangramento intestinal cujas causas não foram diagnosticadas por endoscopia e colonoscopia; polipose intestinal; na doença celíaca (alergia ao glúten);nos casos de suspeita de tumores;dor abdominal de causa desconhecida;para investigação da doença de Crohn; colite indeterminada;diarréia crónica;e síndrome do cólon irritável.

 Para saber mais entre em contato com a Gastromed

 tel. 3082-8000

Gripe Suína (A H1N1)

Resolva suas dúvidas:

 Fatos e Fantasias

É seguro comer carne de porco?

Verdadeiro. Não há evidencias de que a “gripe suína” pode ser transmitida ao se comer carne de animais infectados. Mas é essencial que a carne tenha sido cozida direito. Uma temperatura acima de   70 °C mataria o vírus.

Obesidade pode aumentar a predisposição ao vírus?

Verdadeiro. Estudo realizado na Califórnia revelou que 2/3 dos pacientes diagnosticados com a gripe suína, tinham doenças crônicas como asma, obstrução pulmonar, imunodeficiência, doença cardíaca (congênita ou coronária) e diabetes. A grande surpresa foi ter identificado entre elas a obesidade, que se cogita incluir no rol das condições de risco. Acredita-se que o excesso de peso na região abdominal comprima o pulmão, agravando os sintomas da doença.