Posts Tagged ‘Gastromed’

A GASTROMED DISPONIBILIZA PARA SEUS PACIENTES UM NOVO MÉTODO PARA DIAGNÓSTICO AVANÇADO DA DOENÇA DO REFLUXO GASTRO-ESOFÁGICO

18 de Janeiro de 2010

IMPEDÂNCIO-PHMETRIA ESOFÁGICA

 

 

O que é Impedâncio-pHmetria Esofágica?

A impedância intraluminal esofágica é um método diagnóstico que registra o fluxo retrógrado de conteúdo gástrico, independente de seu pH. Quando combinado com pHmetria (Impedâncio-pHmetria), permite detectar o Refluxo Gastro-Esofágico (RGE) ácido e “não-ácido”. Portanto, permite definir se um sintoma é relacionado com refluxo ácido, relacionado com refluxo “não-ácido”, ou não relacionado com refluxo. Além disso, a Impedâncio-pHmetria permite caracterizar o RGE quanto à sua composição (líquido, gasoso ou líquido-gasoso) e identificar o nível de ascensão do refluxo no esôfago.

 

 

Quais as indicações da Impedâncio-pHmetria Esofágica?

  1. Esclarecimento diagnóstico em pacientes com sintomas sugestivos da Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE) que não apresentam esofagite á endoscópia e que tenham pHmetria Esofágica normal;
  2. Esclarecimento diagnóstico em pacientes com sintomas atípicos e/ou supra-esofágicos (dor torácica, tosse crônica, pigarro persistente, rouquidão, sensação de bola parada na garganta e asma);
  3. Esclarecimento diagnóstico em pacientes com sintomas sugestivos de RGE, com suspeita de participação de refluxo “não-ácido”:
  • Sintomas pós-prandiais;
  • Pacientes em uso medicamentos Bloqueadores H2: Cimetidina, Ranitidina, Famotidina ou Nizatidina;
  • Pacientes em uso de medicamentos Inibidores de Bomba de Prótons (IBP): Omeprazol, Lanzoprazol, Pantoprazol, Rabeprazol e Esomezol;
  • Pacientes submetidos a Gastrectomias.
  1. Avaliação da eficácia do tratamento clínico ou cirúrgico da DRGE.

 

Quais as orientações necessárias para realização da Impedâncio-pHmetria Esofágica?

  1. Para esse exame, não é realizada sedação, portanto, não é necessário vir acompanhado. O paciente pode dirigir normalmente após o exame;
  2. Jejum mínimo necessário de 6 horas;
  3. Medicamentos tipo Bloqueadores H2 e IBP, não devem ser suspensos, exceto por orientação do médico solicitante;
  4. Trazer os exames relacionados (Endoscopia Digestiva Alta, Radiografias do Esôfago, exames anteriores de pHmetria e Manometria Esofágicas);
  5. Trazer a solicitação médica.

 

Como é a execução do exame de Impedâncio-pHmetria Esofágica?

O exame inicia-se por uma Manometria Esofágica que permitirá a localização dos Esfíncteres Inferior e Superior do Esôfago, com o objetivo de posicionar corretamente o cateter de Impedâncio-pHmetria Esofágica;

A introdução do cateter de Impedâncio-pHmetria Esofágica é semelhante ao da pH-metria convencional, realizada com o paciente sentado e sem necessidade de remoção de próteses dentárias;

Aplica-se gel anestésico na narina que estiver mais desobstruída e na orofaringe e pede-se para que o paciente inspire o gel, com objetivo de lubrificar o trajeto a ser percorrido pelo cateter. Este procedimento pode trazer um certo desconforto ao paciente, no entanto, habitualmente é indolor. É realizado com paciência e cuidado, procurando minimizar ao máximo o desconforto do paciente;

Após a introdução e fixação o cateter é conectado a um aparelho portátil, que irá monitorizar o pH do esôfago;

Fornecemos um diário ao paciente, no qual ele deverá registrar os horários das refeições, dos períodos em que permanecer deitado e o horário e tipo de sintomas apresentados;

É reservado em torno de uma hora para realizar todo o procedimento, podendo variar de acordo com cada paciente. Um telefone de contato é fornecido para qualquer eventualidade;

Após o exame o paciente poderá alimentar-se, dirigir, trabalhar, enfim voltar às suas atividades habituais. Caso o paciente não se sinta apto para trabalhar, fornecemos um atestado para o dia;

O paciente retornará na manhã do dia seguinte para retirada do cateter, que é feita de forma rápida e indolor;

 

Quais as vantagens da Impedâncio-pHmetria Esofágica se comparada a pHmetria Esofágica  Convêncional?

A pHmetria Esofágica é considerada eficiente no diagnóstico do Refluxo Gastroesofágico (RGE) ácido. Entretanto, muitos pacientes com sintomas sugestivos de RGE (cerca de 30%) apresentam persistência dos sintomas, quando estão sendo tratados com medicamentos anti-secretores (Bloqueador H2 e/ou IBP`s). Estes sintomas tem sido atribuídos ao RGE “não-ácido”, ou seja, com pH>4.

Quando a acidez gástrica está tamponada, como no período pós-prandial ou durante tratamento com IBP’s, o RGE é essencialmente “não- ácido” e, portanto, dificilmente detectado pela pHmetria convencional. Essa limitação do método criou a necessidade de desenvolvimento de técnica capaz de medir o RGE “não-ácido”.

Os métodos disponíveis tais como cintilografia e bilimetria, não são satisfatórios.

A cintilografia monitoriza por períodos curtos e expõe à radiação. 

A bilimetria não detecta refluxo “não-ácido” sem bile, além de correlacionar-se mal com a pHmetria convencional.

Portanto a Impedâncio-pHmetria Esofágica passa a ser o novo padrão ouro do diagnóstico do Refluxo Gastro-Esofágico.

 

Anúncios

Obesidade: Mitos e realidade

21 de Dezembro de 2009

Há algumas semanas temos tratado do tema da obesidade. Todos nós sabemos que a obesidade se caracteriza pelo acúmulo excessivo de gordura em tal nível que compromete a saúde. O que poucos sabem é que ela é considerada uma doença crônica; sim – obesidade é uma doença e deve ser tratada como tal. Sua origem é multifatorial, ou seja, não existe uma única causa, e sim vários fatores (ambientais, culturais, genéticos, psicológicos) que agem conjuntamente para determinar seu aparecimento.

Acredito que todos nós já escutamos alguém (senão nós mesmos) dizendo que está acima do peso porque seus pais são obesos. Como se a responsabilidade do próprio sujeito fosse menor que a dos “culpados” pais. O que talvez essa pessoa não saiba é que a genética tem uma influência de menor do que 5% na obesidade!

A obesidade e os transtornos alimentares, de forma geral, estão deixando de ser tratados como questões individuais, sendo cada vez mais considerados um problema de saúde pública. Todas as projeções a médio e longo prazo são preocupantes. Estima-se que em 2025 que toda população da América Latina esteja com no mínimo sobrepeso. Atualmente, 50% da população norte americana está acima do peso considerado saudável e no Brasil 1/3 da população. Pesquisas científicas apontam que, em nosso país, mais de 50% da população já tentou perder peso e 15% dos adolescentes estão com sobrepeso.

A obesidade, em última análise, representa fator de risco maior, seja risco para aparecimento de outras doenças, seja risco de morte propriamente dita. Estudos demonstram que, proporcionalmente ao aumento do peso, também ocorre aumento dos níveis de gordura no sangue (colesterol e triglicérides), de glicemia (diabete) e elevação da pressão sangüínea.

Existem diversas doenças que têm freqüência muito aumentada nos obesos. Estas doenças (comorbidades) são as principais responsáveis pelo aumento das taxas de mortalidade, da diminuição da expectativa e da qualidade de vida e são o motivo principal da necessidade do controle do peso. Doenças como diabetes, hipertensão arterial, hiperlipidemia, coronariopatias como angina e infarto, doenças articulares, apnéia do sono, insuficiência respiratória e cardíaca, além de diversas formas de câncer que têm elevada prevalência entre os obesos. O controle dessas doenças necessariamente envolve a perda do excesso de peso.

A obesidade não é uma doença estética, tão pouco um problema moral, nem mental ou de falta de força de vontade, como por desinformação era tratada até bem pouco tempo. Além das complicações físicas apontadas acima, o obesidade pode desencadear graves problemas emocionais: depressão, isolamento, neuroses, sentimento de culpa e de incapacidade e até mesmo suicídio.

Cuide-se!

Thereza Cristina de O. Giorgi – Psicóloga

A Gastromed

19 de Agosto de 2009

A GASTROMED – Instituto Zilberstein é uma instituição a serviço da população atuando há 30 anos no tratamento de pacientes com problemas gastroenterológicos.
Criamos mais esta forma de contato para melhor atender nossos pacientes.

A GASTROMED está localizada no Jardim Paulista.
Av. Nove de Julho, 4.440
Tel.: 3082-8000